Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Saúde’ Category

. Arejar bem o ambiente, melhor se for ensolarado;
. Forrar travesseiros e colchões com capas impermeáveis aos ácaros;
. Limpar os ambientes semanalmente com pano úmido ou aparelhos com jatos de vapor d’água;
. Desumidificadores ajudam a controlar a umidade relativa do ar, porém podem ressecar o ambiente provocando crises de tosse irritativa e agravando crises de asma;
. Vaporizadores não são indicados em quartos de pacientes alérgicos, por facilitarem a proliferação de fungos;
. Evitar banhos muito quentes;
. Evitar tapetes, carpetes e cortinas;
. Evitar mofo e umidade;
. Tirar objetos que facilitem o acúmulo de poeira (livros, bichos de pelúcia, brinquedos em excesso);
. Retirar plantas do dormitório;
. Não usar inseticidas em spray ou espiral;
. Evitar animais de pelo;
. Não permitir cigarro dentro de casa;
. Retirar roupas guardadas por muito tempo e lavá-las ou colocar no sol;
. Lavas com freqüência as roupas de cama;
. Usar corretamente os medicamentos;
. Praticar esportes;
.
e dar preferência a vida ao ar livre

PS: Retirado do Blog fitoenergetico.wordpress.com por Ronny Nascimento para o Recanto Lysronn

Read Full Post »

A margarina foi criada no século XIX como um substituto mais barato (e mais saudável) que a manteiga. Sua origem é do reino animal – uma mistura comprimida de sebo de vaca, leite desnatado, partes menos nobres do porco e da vaca e bicarbonato de sódio.
Seu processo atual inclui o uso de solventes de petróleo (geralmente o hexano, bem barato), ácido fosfórico, soda, resultando numa substância marrom e malcheirosa, que sofre novo tratamento com ácidos clorídrico ou sulfúrico, altas temperaturas e catalisação com níquel, que deixa o produto parcialmente hidrogenado. Isso resulta em um produto com longo prazo de conservação, textura firme mesmo em temperatura ambiente, que não rancifica, não pega fungos nem é atacado por insetos ou roedores. Enfim, é um não-alimento.

O processo todo acaba por formar uma substância rica em um tipo particular de gordura chamado “trans”, insólita na natureza e de efeitos nocivos ao homem. Além disso, o principal predicado da margarina é ser rica em óleos poliinsaturados, que contribuem para um grande número de doenças.

O Estado de São Paulo já noticiou, em 14/11/99, que a gordura da margarina causaria mais danos à saúde que a gordura saturada (segundo o FDA, órgão americano de fiscalização de alimentos e remédios). Em uma revista Exame, também de 99, saiu um artigo um pouco mais extenso e grave alertando sobre os perigos desse produto e falando das implicações que as poderosas multinacionais americanas estavam sofrendo no próprio país por colocar no mercado produtos comparáveis ao cigarro em termos de periculosidade (mas que gera mais de 8 bilhões de dólares). Curioso é que a repercussão no Brasil é escassa.

A margarina pode estar relacionada a disfunções imunológicas, danos em fígado, pulmão e órgãos reprodutivos, a distúrbios digestivos, diminuição na capacidade de aprendizado e crescimento, problemas de peso, aumento no risco de câncer e, principalmente, a transtornos do metabolismo do colesterol, incremento de aterosclerose e doenças cardíacas. Ou seja, a margarina promove o que ela se propõe a tratar.

A manteiga, por sua vez, é saudável, acompanha a humanidade há dezenas de séculos, pode ser feita artesanalmente no ambiente familiar e só foi considerada nociva e politicamente incorreta após a Revolução Industrial, que conseguiu deformar nosso entendimento de saúde e bom senso.

PS: Retirado do Blog fitoenergetico.wordpress.com por Ronny Nascimento para o Recanto Lysronn

Read Full Post »

Aclimatação

Como o nosso organismo lida com alta temperatura ?

A performance atlética é tremendamente influenciada pela temperatura. A combinação de uma temperatura ambiente alta com o calor corporal produzido pelo exercício pode, além de causar queda de performance, ser até fatal. A melhor defesa do corredor é conhecer e saber como lidar com os efeitos do calor.

A temperatura do organismo é regulada para permanecer relativamente constante, porém a temperatura na pele, e tecidos diretamente abaixo, varia diretamente em função das condições do ambiente e, durante o exercício físico, há a geração de calor. Em clima quente a evaporação do suor é a principal forma de controlar o aumento da temperatura corporal.

Quais fatores ambientais afetam a performance ?

Segundo o site Team Oergon, a temperatura ideal para a performance em corridas de longa distância é entre 10-13 graus Celsius (50-55 F.). Acima desta temperatura haveria queda na performance de até 2% para cada 3 graus Celsius (5 graus F.). Também é preciso se levar em conta três fatores ambientais adicionais: umidade relativa, movimento do ar e radiação (luz solar).

A alta umidade dificulta a evaporação do suor, que é um mecanismo de refrigeração do corpo. Desta forma, a alta umidade, quando a temperatura também está alta, afeta negativamente a performance. Na prática seria como se a temperatura ambiente efetiva fosse aumentada em até 6 graus Celsius (10 graus F.).

Tabela de temperatura ambiente efetiva – umidade x temperatura do ar:

Umidade
Relativa
do ar (%)
Temperatura
do ar Co

21
24 27 29 32 35 38 41 43
30 19 23 26 29 32 36 40 45 51
35 19 23 26 29 33 37 42 48 54
40 20 23 26 30 34 38 43 51 58
45 20 23 27 31 35 40 46 54 62
50 21 24 27 31 36 42 49 57 66
55 21 24 27 32 37 43 52 61
60 21 24 28 32 38 46 56 65
65 21 24 28 33 39 48 59
70 21 25 29 34 41 51 62
75 21 25 30 35 43 54
80 22 26 30 36 45 58
85 22 26 31 37 47
90 22 26 31 39 50
95 22 26 32 41
100 22 27 33 42
temperatura ambiente efetiva de 32 a 40 graus:
Colapso provocado por calor possível em caso de exposição prolongada.
temperatura ambiente efetiva de 40 a 54 graus:
Colapso provocado por calor provável em caso de exposição prolongada.
temperatura ambiente efetiva acima 54 graus:
Colapso provocado por calor muito provável em caso de exposição prolongada.

Outro fator a se considerar movimento do ar, provocado pelo vento ou pelo movimento do corredor. Isto aumenta a evaporação do suor e a capacidade do corpo perder calor. Isto pode diminuir a temperatura ambiente efetiva em até 5 graus Celsius (8-9 graus F.).

A exposição direta à luz solar aumenta a temperatura corporal. Isto pode aumentar a temperatura ambiente efetiva em até 5 graus Celsius (8-9 graus F.).

Colocando um exemplo prático, se você com a temperatura ideal de 10-13 graus faz 21 km em 1h30m (90 minutos), com a temperatura em 34 graus, sua performance poderia cair em até 14% (16% caso a umidade esteja alta). Sendo assim, o seu tempo poderia ficar entre 1h42m e 1h44m. Se o ritmo é de 5:00 min/km em temperatura ideal, ele poderia ir até 5:42 min/km com temperatura de 34 graus e 5:48 min/km se a umidade estiver alta.

Quais problemas de saúde são causados pelo calor?

Deve-se ter cuidado especial quando a temperatura ambiente está acima de 26 graus (80 graus F.) ou quando a umidade relativa excede 50-60%. Ou seja, condições bastante comuns na maior parte do Brasil. Correr neste ambiente, sem tomar as devidas precauções, pode acarretar em uma série de problemas de saúde que podem se tornar crônicos ou até fatais.

Estes problemas são causados por três fatores : aumento da temperatura corporal, perda de líquidos e de eletrólitos. Quando estiver correndo no calor preste atenção a sinais de fraqueza, tontura, náusea, desorientação, cessação da transpiração e arrepios. Estes sintomas podem ser o primeiros sinais de problemas mais sérios como Cãibras, exaustão, hiponatremia e até derrames.

O que fazer para se adaptar ao calor ?

Quando está calor, mais sangue vai para a pele afim de resfriar o organismo. Isto aumenta a carga de trabalho do coração e a freqüência cardíaca durante a corrida. Sendo assim, a intensidade do exercício deve ser reduzida quando se estiver correndo no calor para uma aclimatação apropriada.

Durante o processo de aclimatação o nosso organismo faz uma série de ajustes. As adaptações que ocorrem na circulação durante a aclimatização fornecem melhor transporte sangüíneo para o coração. Há uma melhor distribuição do sangue para regular a temperatura, o que libera para os músculos uma boa parte do trabalho do coração.

Os mecanismos de transpiração também sofrem mudanças complementares, começando-se a suar com uma temperatura corporal menor e em volume maior. O suor fica mais diluído, contendo menos sal, e fica melhor distribuído pela pele. As maiores mudanças acontecem durante a primeira semana de aclimatização ao calor e na maioria das vezes encerram em 10 dias. Aclimatação ao calor também pode ser perdida em 10 dias.

Fonte: Copacabana Runners

Read Full Post »

O final do ano chegou! Normalmente, é uma época em que gostamos de relaxar e aproveitar o tempo com a família e amigos. No entanto, isso não é uma desculpa para você descuidar da alimentação. Afinal de contas, sentir-se bem consigo mesmo é ótima razão para levar uma vida mais saudável. Isso sem falar que o verão está aí! E a estação pede roupas mais leves, pernas de fora e uma maior exposição. Assim, estar com um peso adequado também aumenta a auto-estima.
As tentações do final de ano são grandes: rabanadas, tender, peru e maioneses. Além das castanhas, bebidas alcoólicas e sobremesas. Tudo isto é muito calórico e pode atrapalhar os planos de ter um corpo em forma na praia. Assim, para que você aproveite as confraternizações de fim de ano sem abalar sua auto-estima, as nutricionistas Ana Cristina Teixeira e Laura Sampaio relembram algumas atitudes que devemos ter no dia-a-dia para ajudar você a manter o foco:
1. Antes de ir para uma confraternização, faça um pequeno lanche em casa. Opte por um sanduíche de pão integral com um queijo magro e um peito de peru defumado, por exemplo. 
2. Ao chegar na Ceia ou almoço de Natal, comece comendo um grande prato de salada. Isto controlará a sua fome e, assim, será mais fácil resistir às tentações. 
3. Dê preferência às preparações assadas, grelhadas ou ensopadas, pois são menos calóricas.
4. Na hora da sobremesa, escolha 1 opção e, se possível, divida-a com alguém ou pegue um pedaço pequeno.
5. Controle a ingestão de bebida alcoólica. Lembre-se que 1 cerveja corresponde a 1 pão francês, em termos de calorias.

Read Full Post »